Como Recuperar a Saúde Dormindo

Enquanto dormimos o nosso organismo entra numa intensa atividade bioquímica reparadora e restauradora, reduzindo os excessos e elevando aquilo que está em carência, sejam nutrientes, toxinas, radicais livres, metais pesados, mucosidades, etc.. Há também uma restauração do equilíbrio ácido-básico e celular no campo das energias mais sutis, muito além apenas do metabolismo da glicose, das proteínas, dos minerais, das vitaminas e das gorduras. Isso significa que o momento do sono é exatamente aquele em que o corpo se restaura. No campo nervoso, mental e emocional, há também equilíbrio e normalização através da harmonização dos mediadores químicos cerebrais. No campo energético sutil, recebemos importantes energias telúricas e magnéticas da Terra (que penetram horizontalmente pela nossa cabeça), permitindo um reequilíbrio das alterações que sofremos durante o dia, seja expostos à luz artificial, às paredes de concreto e vergalhões (verdadeiras jaulas magnéticas anômalas), calçando sapatos com sola de borracha que nos isolam da energia do solo, seja envoltos pelas “latas de sardinha” metálicas que são os automóveis ou ônibus, etc. etc.


Podemos afirmar que o momento do sono é de “cura” espontânea, mas devemos ajudar o organismo, ampliando os efeitos desse momento em direção a um tipo de “tratamento” das doenças e problemas de saúde atuais e a prevenção de futuros. Neste pormenor, é fundamental entender, antes, que o modo como dormimos, a postura, o tipo de colchão e travesseiros, além do ambiente do aposento, têm profunda influência sobre a nossa saúde e no fenômeno natural de restauração do organismo. Quero dizer com isso que podemos ser muito prejudicados por colchões deformados, moles ou muito duros, travesseiros inadequados, etc., que, além de afetarem a nossa coluna - produzindo dores e alterações musculares, articulares e ósseas – perturbam o processo de recuperação bioquímica e energética do organismo. Recomenda-se assim que se evitem os colchões comuns e se opte pelos produtos que contém magnetos e células de emissão de raios infravermelhos de onda longa que, juntos (magnetos e células), formam um campo quântico energético altamente reparador, conforme está cientificamente provado por um grande número de pesquisas. O efeito ocorre efetivamente uma vez que todas as funções do organismo são, em sua essência, biomagnéticas, onde cada célula, desde a membrana até o seu núcleo, com o código genético gravado no DNA, tem um campo biomagnético positivo e negativo; a divisão celular é também, fundamentalmente, um fenômeno magnético. Desse modo, até mesmo a atividade bioquímica do corpo é influenciada pelo campo magnético e infravermelho de onda longa, desde o metabolismo das proteínas, carboidratos, lipídios, minerais e microminerais. A exposição do corpo a um campo magnético estável, por exemplo, principalmente durante o sono, equilibra o pH sanguíneo (equilíbrio ácido básico). Pesquisas na Inglaterra mostraram que quando o sangue é submetido à ação de campos magnéticos estáveis, tem aumentada a capacidade de transportar mais oxigênio e nutrientes para as células, permitindo assim maior quantidade de energia nos tecidos e órgãos que, obviamente, tornam-se mais saudáveis, pois funcionam melhor. Ainda na Inglaterra, cientistas dos Laboratórios Oelawarr que trabalharam com um campo eletromagnético produzido por um solenóide, observaram os seguintes efeitos no sangue de pacientes humanos:


- Redução dos níveis de colesterol
- Menor número de glóbulos brancos
- Aumento na secreção dos hormônios corticais.
- Coagulação mais rápida
- Diminuição da pressão sangüínea (de 140/90 mm Hg antes do tratamento para 125/80 mm Hg depois de três semanas de tratamento.


Também o campo gerado pelas células infravermelhas de onda longa tem ação nitidamente antiinflamatória, redutora de radicais livres, protetora do DNA do núcleo e da membrana celular, reduzindo a peroxidação lipídica, entre outras ações. Ambos os campos, além de ajudar o organismo a se recuperar bioquimicamente dos nossos excessos e abusos do dia, trabalham no ajuste energético (telúrico-magnético) mais sutil, promovendo a harmonização da nossa polaridade corporal. Se esses artefatos estiverem presentes também nos travesseiros e, tantos estes, quanto os colchões estiveram anatômica e individualmente corretos, haverá um maior efeito terapêutico. Muitas pessoas se enganam e acabam com problemas de coluna, dores e processos degenerativos, por usarem colchões irregulares, deformados, mesmo os anatômicos muito duros e padronizados, que formam áreas de tensão e má vascularização durante o sono, além, é claro dos agravantes para a coluna e sistema nervoso.


É possível então melhorarmos sobremaneira a nossa saúde e eliminarmos – ou evitarmos - muitos males, tais como reumatismos, bursite, dores generalizadas, má circulação, formigamentos, dores de cabeça, enxaquecas, dores cervicais, indisposição, insônia, má digestão, normalização da pressão arterial, etc., além de outros problemas mais modernamente constatados com esses recursos, como a fibromialgia, a maioria das doenças degenerativas, o câncer, a obesidade, os derrames cerebrais, o diabetes e os distúrbios do sistema imunológico, além da depressão e da ansiedade.


É saber usar a hora de dormir para termos uma saúde melhor. Se aliarmos estes recursos à atividade física, a uma alimentação saudável, não industrializada e mais natural integral e orgânica, certamente eliminaremos e preveniremos as enfermidades, das mais simples às mais graves.


Atualmente o conceito de que devemos usar apenas drogas para combater as doenças está sofrendo sérias críticas, pois essa posição não está mudando o quadro patológico mundial, inclusive porque surgem novas doenças degenerativas a cada instante, enquanto que as existentes não são eliminadas. Precisamos lançar mão de recursos capazes de realmente promover saúde e nesse rol estão os alimentos funcionais, os suplementos, os fitoterápicos, os recursos medicinais de contato, como os aparatos magnéticos e com o notável infravermelho de onda longa, além da água exposta a campos magnéticos e similares.


Concluímos que é possível, e desejável, usar o momento do sono para cuidarmos melhor da nossa saúde, combater o envelhecimento precoce e a degeneração do organismo. Uma dica especial é, além dos artefatos mencionados, dormir sempre com a cabeça voltada para o norte (use uma bússola), pois assim recebemos as energias da Terra pela polaridade correta. Outra dica, muito poderosa é, no momento em que deitamos para dormir, darmos uma “ordem” ao nosso inconsciente para eliminar do corpo aquilo que não desejamos e “ordenar” o que queremos que seja curado ou refeito. Trata-se de um processo muito eficaz, que deve ser realizado no momento em que estamos no estado “alfa”, ou seja, entre o estado desperto e o início do sono, quando aproveitamos o nosso “acesso” ao nosso ser interior – o inconsciente – para definirmos o que queremos que seja feito. Bastam alguns minutos de prática diária. 
 
Escrito por Márcio Bontempo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 tipos de terapias alternativas para aliviar a dor e o estresse

Meridianos Dos Pés à Cabeça

Pontos Fonte.